Você ainda acha que ter todos os eletrônicos e eletrodomésticos integrados em casa é coisa do futuro? Com um smartphone e alguns aplicativos já é possível interligar aparelhos, usar a tecnologia a seu favor e facilitar a rotina.

Também conhecida como “casa inteligente”, a “Connected Home” (casa conectada, em português) possui sistemas avançados de automação para o monitoramento e controle sobre as funções de toda a construção, como por exemplo controles de temperatura, TVs, Home Theaters, portas e janelas eletrônicas.

Além da praticidade, outra vantagem do sistema é a economia, pois a automação possibilita o controle nos gastos da água e energia elétrica. Conheça as novidades da instalação integrada e mude sua forma de interagir com as últimas inovações!

O ponto de partida para ter todos os aparelhos integrados teve início por volta de 2005, com o surgimento de assistentes pessoais como a Siri, da Apple, Google Assistente e Amazon Alexa. No início deste ano, o Google divulgou que seu assistente estará instalado em mais de 1 bilhão de dispositivos, oferecido em 30 idiomas e 80 países. O aplicativo ainda é compatível com mais de 30 mil itens para o lar, fabricados por mais de 3,5 mil marcas em todo o mundo.

No Brasil, os fabricantes aderiram a novidade: desde 2017, o país é o terceiro que mais utiliza o Google Assistente. Entre os aparelhos compatíveis, estão caixas de som, smart TVs, câmara de segurança e até carros! A empresa demonstrou o funcionamento da nova tecnologia durante uma feira em São Paulo, em abril deste ano.

 

Inteligência na sua casa – como usar

A maior parte dos equipamentos funciona com três assistentes, que devem estar conectados na mesma rede sem fio (mesmo Wi-fi) e controlados por um aplicativo principal. Por enquanto, só a Siri e o Google Assistente estão disponíveis em Português.

Para colocar o sistema integrado em prática, é aconselhável definir um ambiente para funcionar como a “central”. Uma boa dica é a sala de estar, que integra smart TV, Home Theater e caixas de som.

Se tiver algum aparelho de TV antigo, ainda é possível otimizá-lo com o Google Chromecast ou Smarty Elsys, que possibilitam o usá-lo como smart.

Nos outros ambientes como a cozinha, a integração não fica de fora. É possível modificar as tomadas com o uso de plugues conectados (a partir de R$ 129), tornando fornos elétricos, máquinas de café e até o ferro de passar “inteligentes”.

A vantagem é não se preocupar se esqueceu algo ligado em casa. Basta conectar a tomada à rede Wi-fi e conectar os aparelhos, sendo possível ainda monitorar o consumo de energia dos produtos.

Para a limpeza, os robôs aspiradores são um evento a parte. Sozinhos, sugam a sujeira e mapeiam a área com sensores para não bater nos objetos. Na hora de lavar as roupas, as máquinas que podem ser ativadas pelo smartphone. As mais modernas detectam o peso e avaliam os tipos de tecido para programar o ciclo certo de lavagem.

Segurança e iluminação

Completando a lista de vantagens do sistema integrado, a autonomia da casa inteligente se estende para itens de segurança e até iluminação. Câmeras de segurança com valores a partir R$ 299 monitoram o ambiente com imagens enviadas diretamente para o celular, incluindo visão noturna.

Sensores de porta, janela, temperatura, alarme e controle remoto também ajudam a monitorar e controlar o ambiente.

A casa conectada ainda integra a iluminação. Alguns fabricantes já estão no mercado com lâmpadas inteligentes e kits que tornam as luzes convencionais conectadas, inclusive por assistentes de voz.

A tecnologia possibilita acender, apagar e até mesmo controlar o nível de luminosidade (em alguns modelos) mesmo sem estar em casa.

Para todos os perfis, é possível integrar os aparelhos e ambientes com seu smartphone, cabendo ao usuário definir se deseja fazer grandes investimentos ou apenas pequenas adaptações.